Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Um olhar de pranto

Um olhar de pranto

16
Set16

À primeira vista

De certa forma quero passar uma mensagem: não estamos sózinhos e e as coisas não nos acontecem só a nós. 

Hoje considero-me uma rapariga de sorte e com sucesso, apesar de algumas peripécias, mas autrora, nos meus tempos de escola estava longe de imaginar que um dia iria ser assim: confiante, decidida, bem comigo mesma, achar-me bonita e ser boa profissional.

 

Era uma menininha muito feliz na minha infância. Sempre morei no campo (graças a Deus!!) e desde pequena os meus pais me ensinaram o que custa a vida, o que custa plantar para colhermos depois a semente.

Vá, como sempre fui muito boa na escola eles poupavam-me um pouco, mas eu gostava de os ajudar. Mas eu de pequenina já mostrava as minhas ambições: queria passear muito, queria ir a Paris ver a Torre Eiffel, queria ir à praia ( sim porque os meus pais não tinham férias e naquele tempo ir à praia era um luxo).

Pouco conhecia mais para além daquilo.